A miscigenação no Brasil nos mostra a todo momento a história do nosso país: negros, brancos, pardos, índios, orientais, imigrantes colocaram um pouco de si em tudo que fizeram e a nossa cultura cheia de diversidade foi surgindo.

A culinária brasileira é felizmente afetada por essa mistura e resulta numa gastronomia bastante democrática, pois se algo deixa de agradar a alguém, essa pessoa tem uma enorme quantidade de opções pra encontrar outros pratos que lhe faça satisfeito.

Geograficamente é possível apontar uma culinária bastante distinta da outra. Os antepassados e costumes culturais colaboram para formação do paladar brasileiro e na criação de seus pratos.

A culinária brasileira no norte do país

Os nortistas tem uma comida bastante influenciada pelos índios, mas por causa do ciclo da borracha, onde o local foi bastante explorado, encontramos pratos criados a partir da culinária libanesa, japoneses e alguns europeus (especialmente italianos).

Fruto da Amazônia, temos também no norte: guaraná, açaí, cupuaçu, mandioca, urucu, pirarucu, tucunaré, jambu e castanha-do-pará. 

A culinária no nordeste do Brasil

Já no nordeste os africanos e portugueses lideram no quesito de influenciar o paladar dessa região – Lembrando que o Brasil foi descoberto pela Bahia – O grande destaque são os peixes e frutos do mar, que são encontrados com facilidade no litoral.

A moqueca de peixe e o bobó de camarão, acompanhados com o delicioso baião de dois, escondidinho de carne do sol, arroz do capote, feijão verde, cuscuz, são famosos pratos e atraem turistas do mundo inteiro.

A culinária no centro-oeste do Brasil

A farinha de mandioca predomina na gastronomia do centro-oeste brasileiro, mais uma influência dos índios aparecendo em nossas preferências. Há também frutos bastante característicos da região, como o pequi, chamado de ouro do cerrado. O caldo de piranha, costela de pacu frita ou o ensopado de filé de pintado.

Os pratos típicos levam na receita peixes de água doce: pacu, dourado, pintado, piabuçu, pacupeba e piraputanga. Mas também há carnes bovinas, suínas e carnes exóticas, como de capivara, javali e jacaré.

A culinária no sudeste do Brasil

O sudeste brasileiro tem as suas características também, porém, como existe muito emigração de diversas regiões do país, essa é uma culinária ainda mais diversificada. É possível encontrar em São Paulo e Rio de Janeiro, principalmente, restaurantes de dezenas de países, mas também se deliciar com famoso sanduíche paulistano de mortadela e feijoada que atraem multidões a terra dos cariocas.

Minas Gerais é geograficamente muito grande e talvez por isso tenha sua culinária tão reconhecida e vasta em sabores: do pão de queijo, ao feijão tropeiro, do doce de leite ao romeu e julieta. Em Minas há muito o que experimentar.

A culinária no sul do Brasil

O sul do país tem a culinária mais diferenciada e essa realidade é uma herança do clima. O frio é bem presente em algumas épocas do ano. O pinhão, produzido durante os meses de maio e junho é muito utilizado nas receitas de molhos e doces. E a erva-mate é o ingrediente principal para produzir a bebida típica do lugar, o chimarrão. E uma das características mais fortes dessa região é o churrasco.

Como você pode perceber, a culinária brasileira é tão rica que uma matéria não é suficiente para abordar tudo sobre o assunto. Por isso resolvemos inserir os temas relacionados a gastronomia do Brasil e do mundo através de séries. Continue nos acompanhando!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *